Monthly Archives: Junho 2017

D E S A M P A R O   E S C A N C A R A D O

Falta-nos moral e, consequentemente amparo, há, abundantemente, transgressão à Lei: companhias telefônicas, comercializados de sinais de tv e internet tomam dinheiro de consumidores através de “venda-casada” sob diversas nomenclaturas (combo, “assinatura”), dentre algumas modalidades de enganações.
A propósito, durante duas décadas atuei, por minha conta e a desafiar muitos riscos pessoais (financeiro, profissional, integridade moral e/ou física) com investidas (públicas e judiciais) contrárias a abusos e extorsões, não apenas frente a empresas do tipo ou similares às citadas acima — necessárias inclusões de Cemig, Copasa –, além de adição de governantes, e os nossos atos geraram, indiscrinadamente, resultados favoráveis à população.
Deixei os mencionados encargos sob responsabilidades exclusivas de órgãos remunerados mediante arrecadações diretas, indiretas e pagas por quase a totalidade dos brasileiros, contribuintes dos impostos, das taxas e contribuições — até essa metade de 2017 calculo em mais de R$25.000,00 a minha participação obrigatória no cumprimento  com Imposto de Renda, IPTU, IOF, IPVA+penduricalhos etc. — ao erário (cofres públicos).

João S. Souza

O-B-S-E-R-V-A-Ç-Ã-O

Mensagem, “cola” veiculada em aplicativo mundial, “colada” ao final deste nosso texto,  autoria desconhecida,  em vez de real “desejo” (presente – indicativo/afirmativo) produz repasse da retórica, com propósito de repúdio a personalidades, como Nelson Mandela, Martin Luther King e Mahatma Gandhi, utiliza-se, repetitivamente, tempo verbal “pretérito imperfeito do indicativo” (‘queria‘), ou seja, sequer, oa que parece, sabe o que deseja, além do óbvio (visível/notável) desconhecimento da história, e, tambem, há falta de compostura mínima ao se referir às pessoas, duas das quais assassinadas, covardemente, mediante atos brutais de governantes e impostores, vejamos o referido  da “rede”:

Queria agradecer aos vagabundos que, através de greves, conquistaram direitos como férias, horário de almoço, aposentadoria e 13º salário.

Queria agradecer aos vagabundos que impediram que as pessoas trabalhassem 16,17,18 horas por dia em condições decadentes e desumanas, conquistando o limite de jornada de trabalho e descanso aos finais de semana.
Queria agradecer aos vagabundos que conquistaram piso de remuneração, licença maternidade e proibição do trabalho infantil.
Queria mandar um abraço especial ao vagabundo Nelson Mandela, que tentou parar a África do Sul contra o apartheid.
Queria mandar um abraço ao grandíssimo vagabundo Mahatma Gandhi, que pediu para que os trabalhadores entrassem em greve pela independência da Índia.
Por último e não menos importante, queria mandar um abraço pro vagabunda Martin Luther King, que organizou greves e piquetes contra o racismo institucionalizado nos EUA, lutando pela igualdade dos direitos civis entre brancos e negros.
Enfim, gratidão aos vagabundos do mundo inteiro, por conquistarem através de greves e outras tantas formas de luta todos os direitos trabalhistas que temos hoje. Uni-vos!

Í D O L O S

  1. Escrevi “definição” — minha concepção — sobre adoração ou idolatria, isto, no livro Aversão Comentada — 1a. e 2a edições –, e, posteriormente, adquiri e li “Crepúsculos dos Ídolos — F. Nietzsche —, obtive certeza da tolice em cultuar individuo(s), seja(m) qual(is) mortal(is) beneficiário(s) de tal procedimento, humanamente indecoroso.
    Falta de juízo à formação da RAZÃO!
    João S. Souza

ESPERA-SE ARGUMENTO

Aos defensores de ditadura, informações (dados) atuais, expostos nos noticiários (jornais, rádios, tv e web), mundiais, que, no mínimo, formam suspeitas gravíssimas sobre atitudes dos governos autoritários da Coréia do Norte e China, ambos libertaram dois jovens após anos de prisões por causa-comum — expressão, pacífica, de opinião — nos referidos paises, que, certamente, não por mera coincidência, entregaram os rapazes em estados de saúde terminais (mortais) e deploráveis às respectivas famílias vítimas, um dos quais, Otto Warmbier, devolvido aos Estados Unidos contaminado com botulismo — faleceu no dia 19 de junho deste 2017 –, e o desencarcerado após oito anos, chinês Liu Xiaobo — Nobel da Paz –, diagnosticado com avançado e irreverdível câncer no seu fígado.
Doravente, espera-se réplicas vindas, claro, dos mesmos indivíduos proclamadores de esperanças no autoritarismo!